VENHA JOGAR BUZIOS

VENHA JOGAR BUZIOS
CONSULTE COM "O CATIÇO" SEU TRANCA RUA. Estamos no bairro Floresta em Belo Horizonte- M.G.

quinta-feira, 30 de abril de 2015

QUANTIDADE X QUALIDADE


"Ao longo dos anos eu sempre percebi que em nossa Religião as pessoas estão sempre preocupadas com quantidade.
Seja a quantidade de filhos de santo, a quantidade de anos de santo, a quantidade de santos assentados, a quantidade de ebós (e a quantidade de pratos e elementos no ebó) ou a quantidade de bichos que foram numa obrigação (sem saber se tudo era realmente necessário).
Tem também a quantidade de cerveja e bebidas, a quantidade de docinhos na mesa, a quantidade de lembrancinhas, a quantidade de saídas que o santo deu ou a quantidade de pessoas que foram a festa...


Seja para impressionar os próprios olhos, seja para impressionar as outras pessoas (convidados e parentes de santo).
Sempre quando se fala de uma casa de axé, se fala em “casa grande”, mas não se leva em consideração o tempo que essa casa está de pé (e mantendo suas tradições).
Estava comentando com um amigo zelador esse final de semana que me disse uma frase muito importante:
Mas tudo isso está ligado às nossas necessidades humanas.
“Colocar candomblé é fácil.
Difícil é manter...”
As pessoas se preocupam quando “perdem” um filho para outra casa.
Mas quem se preocupa com o filho que vai para uma igreja?
Porque por mais que eu sinta se alguém me der as costas, na verdade eu ficaria realmente frustrado se um filho de santo fosse para igreja. Porque isso seria a prova indiscutível da minha falta de capacidade para trazer o Orixá na vida dessa pessoa (E que tipo de sacerdote eu seria nesse caso?).
Faço essa reflexão porque sempre me questionei do porquê as pessoas precisam tanto provar algo aos outros?
Conheço pessoas que deixaram terrenos lindos em locais afastados e colocaram casa em espaços exíguos, mas dentro do perímetro urbano, porque isso facilitaria a visita das pessoas...
Porém as casas antigas não eram fundadas no meio do mato?
Na África os locais de culto mais preservados não são aqueles que ficam em locais distantes e dentro do mato?
Ao longo do tempo eu percebi que a magia acontece com um número menor de pessoas.
Parece que quando há muita gente a coisa se dispersa...
Será que um dia o povo de santo vai conseguir chegar nessa maturidade de entender que santo não precisa de multidão?"
Texto de Fernando Mauro
Foto: iniciação de Yawo - Clique no link para ver mais: http://migre.me/pEsNd - Roger Cipó © Olhar de um Cipó - Todos os Direitos Reservados / All Copyrights Reserved.
FOTO:SITE DE BUSCA

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget